cartões criativos

Apaixonadas no Divã: “Meu namorado tem muitas amigas”

5 comentários
Um passarinho me contou que muitas leitoras vão se identificar com o post de hoje (risos).

ciúmes e amor

Vamos falar sobre um tema recorrente em qualquer relacionamento: O CIÚME. Nossa leitora E., de 17 anos, está tendo dificuldades em administrar seus ciúmes e já não sabe o que fazer para melhorar seu relacionamento, vejam o que ela nos contou:
“Meu namorado é do tipo extrovertido, tem muitas amiguinhas e vive rodeado de gente. Eu não suporto ver tanta menina dando bola pra ele, passando mensagem pro celular dele e deixando recadinhos no facebook. Ele diz que não tem nada demais e que não vai se afastar de todo mundo por causa da minha birra. Eu desconfio sempre, sou muito ciumenta e não gosto de nada disso. A gente briga muito. O que faço pra melhorar o relacionamento?”
Para discutirmos todas as questões envolvidas, vamos falar separadamente de cada ponto chave do relato de E., acompanhem comigo:

“Meu namorado é do tipo extrovertido”

Relacionar-se com pessoas extrovertidas, auto confiantes e seguras de si é um grande desafio, afinal é encarar que a atenção não será exclusiva para você a todo momento. Por serem muito comunicativos e simpáticos, pessoas com este perfil tendem a fazer amizades em qualquer lugar e com qualquer pessoa, e esta “disputa por atenção” pode realmente incomodar um pouco em certos momentos, mas tudo é uma questão de ajustamento. 

Como tudo na vida, há sempre dois lados, estar namorando alguém extrovertido tem suas vantagens: conseguem sempre os melhores lugares no restaurante, não é raro descolarem descontos ou brindes depois de uma boa conversa, nunca há uma monotonia nos passeios, etc.

Porém, saibam que muitas vezes é tão natural e inconsciente esta sede por interação, que não percebem o quanto isto pode ser inconveniente, em outras palavras, na maioria das vezes não fazem por mal, mas sim porque estão habituados a serem assim. Então se você vivencia este dilema também, procure conversar com seu parceiro, e combinem um código (como um cutucão) para quando rolar estas situações incômodas, para que ele possa perceber e virar o jogo, prevenindo futuros conflitos. Vale lembrar que é necessário flexibilidade, não é legal privar seu namorado de fazer uma piadinha inocente com o balconista do mercado, vamos lembrar que isto faz parte da natureza dele, ok?

“Não vai se afastar de todo mundo por causa da minha birra”

Sabe aquele papo de “quando eu namorar não vou largar meus amigos”, trata-se de um ponto bem delicado, porque há um limiar muito tênue entre largar e se afastar. A realidade é que relacionamento sério e amizades intimistas não coexistem, simplesmente porque são fases e, para iniciarmos um novo ciclo, precisamos encerrar o antigo. Isto significa que quando escolhemos namorar para valer, investimos boa parte de nosso tempo e energia na construção deste amor, e amigos muito íntimos acabam não se enquadrando neste novo momento de vida, afinal balada todo final de semana já não vai rolar mais, ligações as 3h da madrugada para fofocar, muito menos. Quando a amizade realmente existe, isto não é um problema, pois a felicidade é o que importa, e sempre haverão oportunidades para matar as saudades e ter este momento individual dentro de um relacionamento sério. 

“Desconfio sempre, sou muito ciumenta”. 

Confiança é algo construído a dois e, pasmem!, não tem nada a ver com ser ou não ciumenta. A insegurança inicial em um relacionamento é muito comum, pois não se há ainda intimidade suficiente para decifrar o parceiro, mas a medida que o amor vai crescendo e a cumplicidade aparecendo ela tende a sumir. Só irá persistir se for alimentada, se houver motivos, mínimos que sejam, para ela existir. E como disse, trata-se de uma construção a dois, é uma troca constante, que é renovada a cada dia, como uma plantinha, se pararmos de regá-la, irá murchar até morrer. Já o ciúme é algo muito mais individual, trata-se de uma questão de apego e certa obsessão, um medo constante de perder, que está muito ligado ao estado emocional, auto estima e maturidade de quem o sente. 

Então querida E., convido-a a refletir sobre tudo o que anda acontecendo, pelo que nos contou, boa parte do conflito não é resultado de seu ciúme, como pensa, e sim da falta de envolvimento de seu namorado. Para entender, a impressão que nos passa é que não estão compartilhando dos mesmos planos, talvez apenas você esteja disposta a viver esse amor em sua plenitude. Tenha uma conversa franca com seu namorado, exponha todos os pontos que a deixam triste, questione-o abertamente se ele realmente quer namorar sério, explicando que esta decisão necessita de certas condições como respeito e consideração com seus sentimentos. Tente outra vez, invista e se nada mudar, por mais doloroso que seja, coloque na balança se vale a pena continuar com este relacionamento que mais traz sofrimento que felicidade. Estamos torcendo por você! 

Um grande beijo a todos que acompanham minha sessão e até a próxima!

(As informações contidas nesta publicação NÃO substituem um atendimento real em setting terapêutico adequado com um profissional psicólogo qualificado.)

***OBS: Quem quiser participar da sessão Apaixonadas no Divã, pode enviar e-mail para blognamorados@gmail.com com este título.***
    Comente no Blogger
    Comente no Facebook

5 comentários:

  1. Esse tema realmente é bem complicado... Acho que todas passamos um pouco por isso.

    Beijos
    http://lorraneejunior.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse ponto é bem complicado, pois as vezes a gente se entrega tanto e acaba largando tudo e pessoa não quer fazer o mesmo, a gente conversa conversa e nada muda. E ainda tem as brigas hoje a gente que escuta que quer controlar o relacionamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Dayane, é a partir daí que vale a pena colocar na balança e ver se vale mesmo seguir ao lado dessa pessoa. Porque relacionamento é ceder, é um equilíbrio dos dois lados... quando um só faz, a balança desequilibra e a relação vai pra um caminho sem volta.

      Excluir
  3. Adorei o post! E quem nunca teve uma pontinha de ciúmes, rs

    ResponderExcluir
  4. As vezes meu namorado tem um comportamento meio idiota, como uma vez que estávamos tomando sorvete e ele ficou batendo papo com a menina que nos atendeu, e todo alegrinho, ainda perguntou o nome dela e tudo mais, isso comigo do lado. Não sei se sou paranóica ou algo assim, mas me senti uma trouxa naquela situação, pra mim foi como se ele estivesse dando em cima da menina, e eu no lugar dela pensaria o mesmo. Conversei com ele e ele disse que não tinha nada a ver. Homens... Não tenho paciência.

    ResponderExcluir