cartões criativos

Apaixonadas no Divã: “Estresses da vida a dois”

3 comentários
Descontar nosso estresse em quem amamos é um “pecado” que todas nós cometemos, não é mesmo? E saibam, a rotina desenfreada em que vivemos atualmente é a grande responsável por esta descompensação. Nossa leitora G. de 31 anos, casada há quase 2 anos, e junto ao seu marido há 6 anos, tem enfrentado esta realidade, e a fama de “chata e reclamona” tem a deixado muito magoada. Vejam o que ela nos contou:

Leio sempre o blog e adoro a sessão "Apaixonadas no Divã", por isso resolvi escrever. Meu marido trabalha e tem uma academia, mas esse mês tirou 30 dias de férias. No mesmo período das férias dele estou fazendo um curso pela manhã e trabalhando das 13h às 21h. Acordo cedo, chego tarde e cansada e sempre tem mil coisas pra fazer porque ele fica em casa jogando vídeo game e assistindo tv. Ele adora cozinhar, mas não lava uma louça. Assim acabo me irritando, cobrando demais e fico com fama de chata e reclamona. Que conselho tu darias para mulheres que se sentem sobrecarregadas pelos parceiros?”
estresse na vida a dois

Trabalho, Estudos, Casa, Família, Marido, Amigos, Vida Pessoal, ufa! Será mesmo que a culpa da sobrecarga está em seu parceiro? A realidade é que nós mulheres temos uma tendência em absorver muitas tarefas e na maioria das vezes temos incríveis dificuldades em dizer não, e pior: por questão de honra não nos permitimos deixar para lá, queremos fazer tudo, e mais, tudo bem feito. Só esquecemos de um pequeno detalhe: somos humanas.

Primeiro ponto que gostaria de salientar no tema de hoje é qualidade de vida, se não preservarmos nosso bem estar, não respeitarmos nossos limites, nossos níveis de estresse se elevam, e nossa percepção das coisas fica distorcida, em outras palavras, tudo vira problema, tudo irrita. Outro aspecto que aparece quando estamos estressadas, e com esta sensação de sobrecarga é a inveja. O que irrita não é apenas a bagunça, mas principalmente o fato de seu parceiro ter ficado o dia todo fazendo coisas gostosas, como jogar vídeo game, ver televisão, dormir etc., enquanto você não podia ter os mesmos prazeres. E se junto a isso, sua profissão não lhe proporciona felicidade, você não faz o que gosta, aí sim, a avalanche aparece. Tudo se soma e o vilão estresse toma conta de sua vida.

Então vamos puxar o “breque” e organizar nossa rotina de maneira a privilegiar nosso bem estar. Uma vida saudável requer administração do tempo, e ficar a toa deve ser uma opção a incluir nesta rotina. Outro ponto é lembrar que não será esta loucura para sempre, trata-se de uma fase de vida passageira, então o bom senso e compreensão do parceiro precisa existir, e talvez no caso de G., esteja faltando um pouquinho disto. É natural que você esteja com o humor instável e mais irritada que o normal, afinal não é nada fácil a rotina dupla que vivencia, além de ficar o dia todo fora, ao chegar em casa, há inúmeras coisas a serem feitas. E é super compreensível você esperar a ajuda de seu parceiro. MAS algumas coisas devem ser levadas em conta, antes de sair cobrando isto dele:

  • O perfil de seu parceiro: ele é acostumado a colaborar? Como foi sua criação familiar?
  • Pratos limpos: desde o inicio da relação foi conversado sobre a igualdade na relação? Será que não alimentou a ideia de que você dava conta sozinha? 
  • Férias: será que em suas férias você preferiria ficar de pernas pro ar ou cuidar da casa? Vamos considerar que é um tempo de descanso necessário, e que não parece justo privarmos o outro do prazer de curtir-las.
O grande problema é que muitas vezes esperamos do outro coisas que eles não são capazes de nos dar. As danadas das expectativas! Cuidado com elas!

Então querida G., após levar tudo isto em consideração, use a receita infalível de toda relação: CONVERSE COM SEU PARCEIRO. Procure desculpar-se pelos momentos descontrolados, justificando-se com o momento estressante que tem passado, em seguida explique como aliviaria se ele pudesse lhe ajudar com pequenas coisas, deixe uma lista de tarefas (devemos lembrar que nem sempre os nossos parceiros estão ligados em tudo que necessita ser feito para manter a harmonia da casa) e principalmente PREOCUPE-SE MENOS, exercite em você não levar tudo tão a serio, não é o fim do mundo largar uma louça suja de um dia para o outro, ou uma pilha de roupas para passar. Permita-se encarar estas “falhas” de maneira mais leve, são sacrifícios necessários para um bem maior, e como disse anteriormente, lembre-se que é só uma fase. Tudo vai acabar bem, eu tenho certeza!


E você o que fez para diminuir seu estresse hoje? Conta para gente, vou adorar descobrir os “truques” para driblar o estresse de vocês!



Um grande beijo a todos e muito obrigada pelo carinho! Até a próxima...


(As informações contidas nesta publicação NÃO substituem um atendimento real em setting terapêutico adequado com um profissional psicólogo qualificado.)

***OBS: Quem quiser participar da sessão Apaixonadas no Divã, pode enviar e-mail para blognamorados@gmail.com com este título.***
    Comente no Blogger
    Comente no Facebook

3 comentários:

  1. Meninas, quase toda mulher passa por isso porque quer abraçar o mundo com as próprias pernas, não é verdade?
    A gente quer ter o controle de tudo sempre e é difícil compartilhar um pouco desse peso com o parceiro. Eu sei porque também estou passando por isso. Estou grávida e não estou trabalhando fora no momento, então acabo achando que o marido chega cansado do trabalho e que não precisa ajudar. Eu tenho que dar conta de tudo sozinha.
    Mas o peso da barriga tem me deixado cada vez mais estressada e incomodada e agora venho percebendo que depois que a neném nascer, vai ser pior. Comecei a dividir as tarefas com o meu marido, o que não tem sido nada fácil, porque eu acostumei mal! Mas tenho tentado conversar sobre isso e sobre o quanto as tarefas de casa cansam também, porque todo mundo tende a pensar que se você está em casa, você não está fazendo nada!
    Sei que o caso exposto é um pouco diferente, mas gira exatamente em torno da mesma coisa. Nós e nossa mania de tentar controlar tudo. Acho que tentar compartilhar desde o início é o melhor que podemos fazer. E, se não fizemos isso no começo, temos que tentar consertar. Nunca é tarde. Conversar, como sugeriu a psicóloga Jéssica, ainda é uma das armas mais poderosas mesmo.
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Esta auto-cobrança que citou de "achar que deve dar conta de tudo sozinha" é o que muitas assumimos, e se torna um tiro no pé, afinal precisamos sim de ajuda, não porque não conseguimos, mas porque casamento é compartilhar, e zelar por nosso lar, faz parte do compromisso de viver a dois. E menos cansaço é igual a mais disposição para namorar rs
    Mas é isto mesmo, uma conversa franca, muita paciência e as coisas de ajustam! E realmente com a vinda de um bebe, a rotina precisa mudar, e o apoio do parceiro faz toda a diferença.
    E vocês né Lana, são o casal da mudança e adaptação, foram tantas que enfrentarão, que tenho certeza que tirarão de letra mais esta ;)
    Super beijo

    ResponderExcluir
  3. É muito complicada essa questão de dividir tarefas porque aqui no Brasil muitos homens ainda não tem esse costume. O velho machismo que faz com que eles pensem que isso é tarefa exclusiva da mulher, que deve estar sempre bonita, disposta, ser boa mãe, trabalhar fora, cozinhar e manter a casa em ordem. Nem sempre é fácil, na verdade nunca é fácil. A nossa realidade atual é outra... Na verdade os homens não querem mais aquela mulher submissa, que dependa 100% deles... Hoje nós estudamos (faculdade, MBA, mestrado, etc), trabalhamos e temos que estar atentas à casa, aos filhos, à saúde... Acho justo que os homens colaborem com a casa sim, até porque nem sempre temos uma pessoa de confiança para nos ajudar nesses afazeres. Esse é um receio muito grande que tenho quando penso em casar. Namoro há quase 7 anos, meu namorado é maravilhoso, mas ele foi muito mal acostumado pela mãe a ter tudo nas mãos. Ela faz questão de lavar a roupa, cozinhar, lavar a louça, limpar a casa, passar a roupa e deixar tudo prontinho. Ela ainda se orgulha em dizer que conseguiu cuidar bem dos filhos mesmo trabalhando. Entretanto, trabalhava apenas 1 expediente e era divorciada, ou seja, não tinha essa de estar linda, maravilhosa e disposta para o maridinho depois de um dia inteiro de trabalho e cuidados com casa e filhos. É uma questão complicada porque o stress surge mesmo diante de um dia de trabalho, as dificuldades da vida mesmo. O ideal é que haja um diálogo para que o parceiro entenda o cenário atual e se disponha a colaborar. Caso contrário, a situação chegará a um nível insuportável de chateação e stress. Diálogo, SEMPRE!

    ResponderExcluir