cartões criativos

Apaixonadas no Divã: “Meu namorado quer ter um filho”

8 comentários
Hoje conversaremos sobre um dilema bem interessante na sessão Apaixonadas no Divã, acompanhem comigo o que nossa Leitora M. de 19 anos contou para gente:

“Estou cursando Direito. Namoro há 11 meses com um cara de 28 anos, estabilizado na vida, casa própria, carro próprio. Nosso relacionamento sempre teve brigas, mas sempre superamos. Ele faz tudo por mim, me mima o tempo todo, é carinhoso, atencioso, e muito muito amoroso, me ajuda com tudo. Ele é diferente. Porém, é extremamente possessivo, tive que excluir minhas redes sociais todas, não tenho mais nenhum amigo homem, e as amigas que tenho tenho são colegas ou antigas amigas. Ele tirou toda a minha liberdade e até me fez perder algumas amigas. Muito ciumento. E em função da sua idade, ele quer muito ter um filho, e quer pra ontem, tipo quer ano que vem. Só que eu estou estudando não é hora pra isso, e ele não entende. Eu quero ter estabilidade financeira pra poder ter um filho, mas ele acha que vai estar muito velho já. Ele pensa em morar junto, mas eu não tenho renda, não quero depender dele pras coisas. E quero que aproveitemos nossa vida a dois não a três. Eu amo ele com todas as minhas forças apesar de ele me sufocar, me prender, ele me faz muito feliz. O que faço? Não posso deixá-lo, isso causaria uma dor irreparável, pois passamos muito tempo juntos e fazemos tudo juntos. Me ajudem por favor!”

Há duas questões importantes no caso de M., a perda de sua individualidade gerada pelo ciúme possessivo do seu namorado, e a pressão para assumir uma família (casar e ter filho), ambas envolvendo o mesmo ponto conflitante: RESPEITO.

análise psicológica


Como sempre apontamos em nossos posts, um dos alicerces fundamentais de um relacionamento duradouro e saudável é o respeito mútuo e igualitário. Quero aproveitar e destacar um fato relevante, ouço muitos depoimentos iguais de M. dizendo que “teve” ou “foi obrigada” a isolar-se socialmente. Vamos nos conscientizar que tudo são escolhas, por mais pressão envolvida, cada um tem seu livre arbítrio para decidir sobre sua própria vida, e se submeter a situações de privação para manter uma relação, já faz deste relacionamento enfermo, e o tornam insustentável. Somos seres sociáveis, construídos a partir da interação com o outro, e nossa saúde depende destas características, e nossas necessidades vão alem da convivência a dois. 

Então, caso esteja vivenciando este dilema, procure imediatamente retomar estes limites, e restabelecer o respeito sobre sua individualidade, ou será obrigada a conviver com uma felicidade pela metade, e como consequência a chance de adoecer é enorme. Pensemos assim, logo após dizermos sim para encarar uma relação mais séria, em seguida devemos ter uma conversa franca e estabelecer os limites saudáveis da relação, limites estes que contemplem inclusive a singularidade de cada um. 

Falando um pouco sobre a situação de M., que está sendo pressionada por seu parceiro a casar-se e ter um filho. Primeiramente, procuremos analisar todas as consequências desta realidade, colocando na balança as reais dificuldades que tal escolha geraria. Para M., cuidar de uma casa, engravidar e concluir sua graduação em direito parecem ser incompatíveis. E é neste momento que a decisão fica difícil, afinal não é errado ela abrir mão de sua faculdade e possível autonomia financeira para constituir uma família, inúmeras mulheres já fizeram isto, e são felizes, assim como muitas o fizeram e se frustraram amargamente. Como também não é errado ela dizer não a seu parceiro, e prosseguir com suas metas pessoais, e assim como no primeiro caso, pode alcançar a tão desejada felicidade, ou pode arrepender-se por ter adiado este ponto. Enfim, o que quero mostrar que independente da escolha, as consequências são inevitáveis, e quando nos deparamos com escolhas tensas como esta, devemos partir do princípio do “o que eu quero”, sem se deixar levar pela influência de terceiros, pois como eu disse anteriormente, passar por cima de nossos limites, fere diretamente o respeito da relação, e resulta em um relacionamento doente e infeliz a longo prazo. 

Costumo explicar para meus pacientes que a auto-realização é como uma corrente, para se formar depende-se de cada elo. E se um estiver danificado, a corrente se romperá. Então, de nada adianta um “elo” de amor intenso, se o “elo” da felicidade está danificado. Ou seja, o amor é essencial, mas não é o bastante para sustentar uma relação. 

Então, querida M., espero que procure restabelecer seus limites pessoais, e resgatar sua individualidade junto a seu relacionamento, e possa fazer uma escolha respeitando principalmente seu desejo, sem levar em consideração a vontade/pressão de seu namorado, muito menos o medo do desamparo. O que deve sustentar a sua escolha é a análise das consequências, e sua auto-observação se esta preparada para tal. E lembre-se que se o medo de perder for maior do que a vontade de ser feliz, talvez seja a hora de repensar a saúde de sua relação. Porque M. você PODE sim largá-lo, basta saber se você QUER isto. Sofrendo você já está, então o sinal de que algo precisa mudar já foi aceso. Desejo muita lucidez e tranquilidade para suas escolhas e que tudo se resolva da melhor forma.

SE IDENTIFICOU COM O DILEMA DE M.? ENTÃO NÃO DEIXE DE REGISTRAR SEU DEPOIMENTO PELOS COMENTÁRIOS!

Um grande beijo a todos e até a próxima!

(As informações contidas nesta publicação NÃO substituem um atendimento real em setting terapêutico adequado com um profissional psicólogo qualificado.) 

***OBS: Quem quiser participar da sessão Apaixonadas no Divã, pode enviar e-mail para blognamorados@gmail.com com este título.***
    Comente no Blogger
    Comente no Facebook

8 comentários:

  1. Moça,

    Infelizmente você está em um relacionamento abusivo, você poder achar que inicialmente as pessoas maximizam a situação que você esta vivendo, mas quando estamos dentro do relacionamento é difícil enxergarmos claramente as cartas do jogo, veja bem, a sua vida mudou em um curto espaço de tempo, você tem perdido a sua identidade, o seu círculo social, o seu namorado a pressiona a ceder as vontades dele. Não se iluda com os presentes e mimos, eles não são apenas demonstração de afeto, eles são uma forma de enteia-la, o amor deve ser representado nas atitudes também e me parece que não é bem o que o seu namorado faz. Você é muito jovem, há uma diferença de idade entre vocês considerável, isto jamais seria um problema se o seu namorado não fosse tão possessivo, entenda que relacionamento é soma, é companheirismo, você jamais deve anular seus objetivos! Acho que a única saída que você tem é ser franca com você e com o seu namorado, explicar o que você quer, se ela não aceitar é hora de tomar coragem para cair fora deste barco!

    ResponderExcluir
  2. Querida acorda para vida, seu namorado NAO TE AMA.
    Ele não respeita sua opinião e te trata como criança.
    Pode ate ser que ele queira ter um filho mais logo logo ele vai procurar uma mulher um pouco mais velha e para se ter uma família.
    Serio é muito raro voce ver um cara mais velho levar uma mulher novinha a serio. Eles só tao afim de" uma coisa" dai quando for para ter algo serio procuraram uma mulher bem sucedida.
    Eu aconselho vc a deixa-lo.
    Mais se vc realmente gostar dele tente se impor, faça com que sua opinião seja respeitada.
    Observe como ele te trata se te respeita como pessoa e como mulher.
    Acho que no fundo a gente sabe o que é melhor para gente.

    ResponderExcluir
  3. Um relacionamento possessivo não faz bem a ninguém, como você vai ter um filho com apenas 19 anos?? Tem tanta coisa pra você ver e fazer ainda. Filho exigi tempo, amor e dedicação.. Para e pensa se você quer esse cara possessivo como o pai dos seus filhos. Ele ta mais pra seu dono, do que pra seu namorado. Você é tão nova pra ficar se anulando e perdendo de fazer novas amizades. Se um dia ele terminar com você quantos amigos você vai ter pra te apoiar? E quanto a sua faculdade, não é uma prioridade pra você não? Precisa pensar mais em você e na sua felicidade. Espero que tudo se resolva da melhor forma e que você tenha força pra enfrentar tudo isso.

    ResponderExcluir
  4. Meninas obrigada pela participação de vocês! Um grande abraço à todas! :)

    ResponderExcluir
  5. Também sou mais mais nova do que o meu namorado. No começo, percebi que ele quis impôr muitas coisas, mas não deixei isso acontecer. Eu o contrariei e isso gerou muitas brigas, mas pensei "se ele realmente gosta de mim, ele vai acabar dando o braço a torcer". Foi o que aconteceu. Meu namorado cedeu e eu deixei bem claro que não serei manipulada, ele até brinca dizendo que sou feminista. Mas temos que nos impôr!!! Chega de homens achando que mandam na gente (digo isso pq sempre vi meu pai mandando na minha mãe). Quando vou na casa do meu namorado, deixo claro que eu não sou empregada, faço ele lavar, cozinhar, dividir tarefas. Ele também quer ter um filho, e já falei que o corpo é meu e que quem decide isso não é ele sozinho, eu preciso querer. Moça, não seja mandada. Se precisar, termina!!!!! Faz um teste, diz NÃO pra ele. Será que ele vai terminar com você por causa disso? Se terminar, pronto, você já sabe que ele não te ama de verdade. Você pode estar com o cara errado achando que é o certo e pode perder a oportunidade de arranjar alguém compreensivo que te faça tão feliz quanto, ou até mais, ele te faz. Eu vivia um relacionamento assim. Eu só vi como eu era "trouxa" depois de muito tempo. Meus amigos me avisaram, mas eu estava cega, com medo de perder o meu amor. Mal sabia eu que eu estava perdendo sim o meu amor, o meu amor próprio. Moça, toma uma atitude!!! Só não se deixa ser mandada por ele, não deixa ele te fazer de gato e sapato (pelo o que você falou, ele já está fazendo, me desculpa). Boa sorte!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito bom seu depoimento! Adorei sua frase "mal sabia eu que eu estava perdendo sim o meu amor, o meu amor próprio". Ainda bem que percebeu a tempo e pode buscar alguém que te valorize e principalmente te respeite. Realmente muitas vezes precisamos nos impor, pois relação é isto, uma constante troca, e não uma relação unidirecional. Um grande abraço e continue acompanhando os posts!

      Excluir
  6. Olha eu ja tive um namorado mais velho que eu.. ele era ciumento mais muito ciumento mesmo. Queria casar tbm,ter filhos. Nao deixava eu ter amizades com homens ,excluiu a maioria dos meus amigos no facebook,não deixava eu sair com as minhas amigas,não gostava que saisse com a minha mãe é muito menos que senta se no portão de casa para conversa com alguém,nisso eu fiquei cinco anos com ele, mais sabe pk ele fazia tudo isso?para mim não descobrir que ele tinha outras na rua.. ainda bem que descobri a tempo para mim não sofre no casamento. Nao vim aqui que seu namorado possa esta fazendo mesmo..
    Mais que um conselho se ame em primeiro lugar e não deixe ele te dominar. Se ele te ama, ele tem que te aceita assim e te respeitar suas decisões de não querer filho agora

    ResponderExcluir
  7. Estou na mesma situação, porem eu ja tenho uma filha, e tive ela muito nova, agr estou com 20 e estou tentando recuperar o tempo perdido, e o meu namorado nao e pai da minha filha..
    Entao ele acha que por eu ter uma filha e por ja ter 2 anos juntos ele acha que eu tenho o dever de ter um filho com ele, pq ela tbem ja esta com 27 anos..
    Mais eu nao quero pq tenhi muitos planos que nao inclui uma criança agr, isso e uma responsabilidade enorme..
    Amo muito ele, mais ja estou pensando em deixa-lo livre p realizar a vontade dele, pq ele nao me entende, nao compreende.

    ResponderExcluir