cartões criativos

Apaixonados no Divã: “Ele quer que a mãe dele more conosco”

6 comentários
Nossa querida Leitora A.C. compartilhou conosco na Sessão "Apaixonadas no Divã" um drama muito recorrente e de certo modo polêmico: MORAR OU NÃO COM A SOGRA

Acompanhem sua história:
"Eu namoro há muitos anos e de uns meses pra cá estamos conversando bastante sobre casamento. Somos felizes e não tenho dúvidas do que ele sente por mim, entretanto há um grande problema: Ele quer que a mãe dele more conosco.
Ela não tem marido e meu namorado não quer "abandoná-la". A minha sogra não é uma péssima pessoa, mas ela não quer ficar sem meu namorado de jeito nenhum e se ele casar, ela quer que eu vá morar lá com eles. Eu não gosto do bairro em que eles moram. É muito distante de tudo na minha rotina. Ou seja, morar lá: Jamais!
Minha sogra gostaria que eu fosse evangélica como ela, isso me incomoda muito porque sempre que nós conversamos, ela toca nesse assunto. Sei que na cabeça dela, é para o meu bem, mas não me sinto à vontade sendo pressionada assim. Minha sogra ajuda a cuidar dos netos e eu não aprovo o modo que ela os cria e eu tenho muito medo que ela crie de forma errada os meus futuros filhos.
Minha sogra quer fazer tudo do jeito dela. Se eu cozinho ou faço qualquer coisa, ela me corrige como se eu fizesse tudo errado e ela sempre fica querendo me ensinar a fazer tudo do jeito dela, sendo que eu tenho o meu modo de fazer.
A minha reflexão: Eu, recém casada, na minha casa nova sem poder ficar à vontade??!! Eu fico pensando "como vou fazer um jantar romântico?", "como vou poder ficar em casa à toa de camisola num dia de folga?", "como vou poder ter momentos íntimos com meu marido com a sogra direto em casa?" "e no caso de uma discussão, como vai ser ela tomando partido por ele?" etc etc etc...
Eu quero simplesmente ter a minha vida de casada em paz. Minha casa nova, meu maridinho, minha família. Decorar da forma que eu quiser, cozinhar da forma que eu quiser, limpar da forma que eu quiser, fazer o que eu quiser...
Prefiro perder o homem da minha vida, o rapaz que namoro há tantos anos e tive tantos momentos maravilhosos, a ter que enfrentar um stress desses lá na frente"

morar com a sogra


Como percebem pelo desabafo de nossa leitora, as expectativas negativas frente a possibilidade de residir na mesma casa de sua sogra estão servindo como alavanca para o desequilíbrio da saúde de seu relacionamento. Por isso antes de falarmos sobre o fato principal, é importante salientarmos a questão dos “limites”. É importante entendermos que a intromissão só acontece quando nós permitimos, mesmo que inconscientemente. É preciso estabelecer limites desde o começo para não “dar corda” para atitudes que nos desagradam. A pressão que A.C. comenta só acontece por que provavelmente ela acaba se omitindo para evitar desentendimentos, e inclusive, esta dificuldade de se impor é o que reforça ainda mais sua insegurança de dividir uma casa com sua Sogra, pois como ela mesmo diz ela não vai conseguir se "segurar". O que quero dizer é que o fato de morar na mesma casa ou a 1000 km de distancia não garante que não haverá intromissões, porque o limite é estabelecido em nível relacional, e não deve depender do espaço físico.

Outro ponto importante é o quesito abertura. Muitas vezes nos apegamos tanto em nossos valores, que não nos permitimos se abrir para novas possibilidades. Nos fechamos a tal ponto, que qualquer tentativa de interferir em nosso modo é encarado como grande afronta. E neste ponto é muito válido refletir e repensar. Porque não tentar encarar a “correção” de sua Sogra como uma “sugestão”? Porque não se permitir experimentar fazer diferente? Claro que sejamos realistas, mãe é mãe, e para mãe ninguém é perfeito para um filho, só ela. Então a lei do bom senso tem que prevalecer, relevar certos comentários, ignorar certas atitudes não é um grande sacrifício, e quem possui um relacionamento duradouro sabe que isto faz parte, não é mesmo?

“Morar com sogra nunca dá certo”, na verdade não é bem por aí, existem muitos casos de sucesso, por que o segredo para qualquer relação humana é o respeito. Havendo respeito a harmonia é alcançada em qualquer relação. A regra “meu limite termina onde começa o seu” é super verdadeira nesta questão. Então não é possível afirmar que não daria certo sem tentar, o que seria mais correto dizer é que não há o desejo que dê certo, pois não existe intenção favorável para esta possibilidade.

O medo do desamparo vivenciado pelo namorado de A.C. é outro ponto muito comum em muitos casos. Este sentimento de “abandono” acontece pelo vinculo de dependência estabelecido em ambas as partes, que ate então tinham apenas um ao outro. Mas na verdade este sentimento é equivocado, porque assim como os limites não dependem do espaço físico, o acolhimento e amparo também não. Podemos sim cuidar de alguém a distância, trata-se de uma questão de adaptação. 

E aí chegamos ao conflito principal do problema: o egoísmo. Por parte de A.C. de querer que tudo seja do jeito que ela planejou, e por parte de seu namorado, de apenas estar pensando no bem estar dele e de sua mãe e desconsiderando o desejo de sua futura esposa. 

E o ingrediente mágico que esta ausente é o consenso. É necessário uma conversa franca entre o casal estabelecendo todos estes pontos para se chegar a uma realidade que contemple o desejo e as condições dos dois. Definir por exemplo o acesso da sogra na nova casa, onde e quando ela pode se envolver, resolver a questão da residência, qual o bairro mais adequado para os três, e qual a distancia aceitável para a proximidade (que ele quer) e distancia (que ela quer) para sogra morar, entre outros. Depois de muitas conversas e cada um abrindo um pouquinho mão de suas vontades é perfeitamente possível chegar a uma solução.

Então querida A.C. não desista agora, se há amor envolvido, vocês dois encontraram uma maneira para alcançar o sonhado “final feliz”, e quanto a seus medos e inseguranças, lembre-se que mesmo que planejemos, não temos o controle sobre tudo, e que inevitavelmente o casamento envolverá mudanças, estresses, adaptações desagradáveis, independente de sua sogra. Por isso tente se preocupar menos com o futuro, e procure viver seu presente, buscando olhar o lado bom das coisas, e não temer o lado ruim que talvez nunca aconteça. Te desejo toda a felicidade e que possa viver sua vida de casada como sempre sonhou, privilegiado sempre o respeito e cumplicidade necessários para um relacionamento duradouro e saudável. 

ESTÁ PASSANDO OU JÁ PASSOU POR DRAMA PARECIDO? COMPARTILHE CONOSCO NOS COMENTÁRIOS, ADORAMOS CONHECER A HISTÓRIA DE VOCÊS! 

Um grande beijo à todos e até a próxima! 

(As informações contidas nesta publicação NÃO substituem um atendimento real em setting terapêutico adequado com um profissional psicólogo qualificado.) 

***OBS: Quem quiser participar da sessão Apaixonadas no Divã, pode enviar e-mail para blognamorados@gmail.com com este título.***
    Comente no Blogger
    Comente no Facebook

6 comentários:

  1. Primeiramente, Jéssica, sua palavras foram perfeitas, parabéns pelo deu trabalho, admiro muito.
    Agora, querida A.C., como sua sogra é evangélica, vou dar lhe um versículo"Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne." Gênesis 2:24. Ou seja, a partir do momento que casar inicia-se uma nova fase, a parte de ficar com os pais já passou, agora é hora de se unir a sua esposa e formar uma nova família, creio que ela não irá querer desobedecer a Deus. Isso só mudaria em caso de necessidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho e reconhecimento Anne! Fico muito feliz! Muito belo o versículo e contempla o conflito belamente. Agradeço por seu envolvimento! Um grande beijo e espero que continue acompanhando minha coluna :)

      Excluir
  2. Agradeço Jessica, Lana e todas do Surpresas para Namorados por terem me dado mais essa dica. Eu refleti bem sobre o assunto e decidi resolver essa questão com calma, muito diálogo e com a mente aberta. Vou fazer o possível para que consigamos chegar a um consenso, já que realmente nos amamos muito. Agradeço de coração pelo apoio e conselhos.

    Anne, muito obrigada pelo versículo.
    Vou tentar dialogar mais com a minha sogra, vou conversar mais sobre a Deus, sobre a Bíblia, sobre a vida... E vou continuar fazendo o possível para deixá-la mais segura e tranquila. Afinal, nunca pretendi que meu namorado a abandone, é isso que quero que ela entenda. Com jeitinho, persistência e fé tudo vai dar certo.

    Um beijo e um forte abraço a todas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom ler seu comentário AC e já perceber uma mudança na maneira de encarar seu problema! Muita sorte e felicidades! Abraços

      Excluir
  3. Comecei a ler e pensei que tivesse enviado algum texto, pois me identifiquei muito com o início do texto.

    Já tive muito problemas com a minha sogra por conta dos seus ciumes. Confesso que também sou ciumenta mas nunca passou pela minha cabeça que meu noivo abandone a sua mãe. A minha sogra é uma pessoa muito querida pelas pessoas que estão longe e muito problemática para quem está por perto. Ela é ótima, carinhosa, dedicada, amiga, e tira de si para dar para os outros. Mas ela tem depressão e tem hora que arruma problema por tudo e qualquer coisa. Às vezes, ela arruma uns problemas por umas besteiras. Enfim... Pelo bem do meu noivo, que é muito preocupado com a mãe dele que sempre fez tudo por ele, e pelo bem da minha sogra, que não tem ninguém na nossa cidade além do seu filho, meu namorado (filho único).

    Por ela ter depressão, às vezes faz uma drama, liga dizendo que esta passando mal. Por vezes verdades e outras criando situações pra que meu namorado vá embora pra ficar com ela. Assim, acredito que morando em lugares separados, será sempre um inferno no meu relacionamento.

    Percebi que a minha sogra se sente muito ameaçada quando deixo de ir na casa deles e meu namorado, consequentemente, passa mais tempo comigo. Nesses momentos, a minha sogra cria caso por tudo, mesmo longe. Já quando passo bastante tempo por lá e ela não se sente abandonada, eu passo a ser a melhor pessoa do mundo pra ela. Por isso, eu imagino que apesar de ter que conviver com uma pessoa muito diferente de mim em vários termos, como organização, limpeza, etc, será melhor ter ela por perto a ter ela longe arrumando problemas.

    Compramos uma casinha perto dos meus pais e até julho estaremos na nossa casinha nova - e ela irá conosco. Fui muito criticada por amigos e familiares, mas não ir com pensamento que vai dar errado. Estou indo enfrentar o desafio com muita energia positivo que tudo irá dar certo.

    É difícil. Não vou dizer que é o que quero, não é. Mas a vida nem sempre é como planejamoss. No amor, nem sempre concordaremos com tudo e pra dar certo, alguém tem que ceder. Hoje eu preciso ceder. Amanhã, em outra situação, ele precisará. E assim vamos tentando ser felizes mesmo quando as coisas não são bem como sonhamos. A gente vai improvisando...rs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei Larissa! Sua história é o exemplo de que "cada caso é um caso", e que não devemos partir do pré-conceito estabelecido, afinal quem sabe o que é melhor para nós, somos nós! Boa sorte e muita felicidade à vocês três!

      Excluir