cartões criativos

Apaixonados no Divã: “Minha sogra pede dinheiro pra tudo para meu noivo”

24 comentários
Olá queridas (os) leitoras (es), hoje trago para vocês, na sessão Apaixonados no Divã, uma história muito complicada e sofrida que nossa leitora C.P. compartilhou com a gente, acompanhem conosco:

“Eu e meu noivo temos quase 7 anos de relacionamento, amadurecemos muito juntos e somos muito companheiros, porém ele sempre foi o tipo de pessoa que abaixa a cabeça pra tudo na família dele, com isso eu acabei virando "a voz dele", então, se ele não tem coragem de falar eu vou lá e falo, certa vez já até ouvi meu sogro numa discussão com ele dizendo que eu mandava nele, mas não é assim. Enfim...

Meu sogro sempre teve problemas com bebida e no ano passado se envolveu com drogas, teve uma briga e acabou assassinando um cara (traficante), eu temi muito pela vida do meu noivo, foi angustiante e quase morri de medo de acontecer algo a ele. No dia seguinte, assim que amanheceu, ele foi morar na minha casa durante uns 30 dias mais ou menos. Alugamos uma casa para a família dele um pouco mais distante e o pai dele estava foragido, aos poucos ele foi voltando e, no dia 30 de Dezembro, o pai dele foi assassinado, ou seja, ele foi enterrado dia 31 de Dezembro. O ano novo foi super trash, meu noivo ficou uns 4 dias a base de calmante, eu chorava de ver ele assim. A bebida e a droga acabaram com a vida de uma família inteira.

Após o baque vieram os problemas, meu sogro tinha 3 carros (1 deles ninguém sabia que existia), havia IPVA's atrasados, IPTU da casa deles atrasado e várias coisinhas, com isso vieram os problemas com grana.

Agora minha sogra está fazendo com meu noivo o mesmo que ela fazia com o marido, pede dinheiro toda hora e pra tudo, sendo que minha cunhada e ela trabalham. Ele dá todo o vale alimentação dele pra elas, e elas ainda ficam pedindo dinheiro no meio do mês e mandando ele pagar tudo. Eu fico "P" da vida, porque estamos juntando dinheiro pro nosso casamento e pra nossa casa. Eu não concordo e fico louca com isso, ele não gosta de ficar dando dinheiro, mas ela fica enchendo tanto o saco dele que ele acaba dando pra ela ficar quieta. Agora não temos nada de dinheiro pra sair, porque todo dinheiro que sobra minha sogra suga dele. Não aguento mais.”

ensinamentos


Como de costume vamos por partes:

"Ele sempre foi o tipo de pessoa que abaixa a cabeça pra tudo na família dele, com isso eu acabei virando ‘a voz dele'"

Um grande erro que muitas vezes cometemos é querer ser o escudo de quem amamos, e acabamos por nos expor e envolver em questões que nem sempre deveríamos. 

A omissão pode ser causada por duas vertentes: por uma escolha ou por uma dificuldade. Uma escolha caso o individuo tenha chegado ao seu limite, e simplesmente desistiu de falar. Já que nunca é ouvido, para que debater, entendem? Há uma exaustão de tentativas frustradas. Ou um entrave quando a omissão se dá pela dificuldade em se colocar, em se impor, normalmente características de pessoas com baixa auto estima e algum grau de sofrimento psicológico. 

Entretanto, independente de qual a causa da omissão, a postura de “escudo” é prejudicial por que acaba gerando uma zona tão confortável a quem é defendido, que surge o comodismo, e até mesmo a falta de vontade de que as coisas mudem, assim como pode gerar sentimentos de impotência e ilusão de uma dependência desta intervenção. Além do que assumir problemas alheios pode afetar diretamente também sua própria saúde emocional. 

O ideal é ao invés de assumirmos o papel de escudo, optarmos pelo de suporte, oferecendo apoio e motivação sem envolvimento direto com a situação problema. Pois aquele que não vivencia o problema não conseguirá jamais resolvê-lo, como uma equação matemática, só sabemos o resultado após muito raciocínio, e por vezes após alguns erros.


“Meu sogro sempre teve problemas com bebida e no ano passado se envolveu com drogas, teve uma briga e acabou assassinando um cara (traficante) [...] A bebida e a droga acabaram com a vida de uma família inteira.”

Só quem passa por isso pode dizer com propriedade como é conviver com um dependente químico em casa. Isto porque na área da saúde dizemos que a família se torna codependente. 

Codependência significa “viver num sistema em que uma pessoa se responsabiliza por outra que está agindo irresponsavelmente e destruindo a própria vida”. Essa dinâmica adoece a família como um todo e cada membro no que cada um já traz como bagagem de dificuldade. A família vai se desagregando até a impossibilidade absoluta de convivência. 

O lado bom é que a codependência é curável. Os padrões codependentes se instalam baseando-se nas dificuldades emocionais que cada pessoa já traz em si, porém, com boa vontade, coragem e tratamento, é possível sair desse círculo vicioso de culpa, tentativas frustradas de controle e autodestruição.

No caso de C.P., é possível reconhecer sintomas presentes de codependência, como o fato da mudança de casa e o fato do sogro ficar foragido, por exemplo. E tais sintomas se estendem mesmo após o falecimento do mesmo, como a sustentação de dívidas deixadas por ele. E este dado é de extrema importância, pois toda a família está doente e precisando de cuidados, contribuindo ainda mais para a situação de crise. A busca por um tratamento psicológico seria muito indicado.

“Agora minha sogra está fazendo com meu noivo o mesmo que ela fazia com o marido, pede dinheiro toda hora e pra tudo”

Primeiro ponto a esclarecer é que há uma crise financeira real instaurada na família, e muito provavelmente apenas os salários da sogra e da cunhada, não sejam suficientes para suprir a casa, logo o auxilio financeiro do filho seja necessário.

Também não podemos esquecer que após a situação traumática talvez não estejam conseguindo organizar e planejar as finanças, o que acaba gerando este descontrole. Vamos lembrar que ainda estão elaborando o processo de luto, que envolve muito sofrimento e desorganização mental, principalmente levando em consideração o histórico de como tudo aconteceu.

Neste tipo de situação é sempre indicado que alguém próximo a família assuma temporariamente as responsabilidades, organizando e dando seguimento a rotina da família, que neste momento esta totalmente vulnerável. 

“Eu fico 'P' da vida porque estamos juntando dinheiro pro nosso casamento e pra nossa casa. Eu não concordo e fico louca com isso [...] Agora não temos nada de dinheiro pra sair, porque todo dinheiro que sobra minha sogra suga dele.”

Sabe aquela história de “na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza” então... Muitas vezes em nossas vidas somos obrigadas a adiar planos e metas por situações inesperadas que acontecem, como um falecimento, como no caso de C.P. Primeiro é preciso compreender que as coisas mudaram, e que com isso os sonhos e planos precisam se adaptar a nova realidade. Eventualmente, no caso de C.P. o casamento precisará ser adiado, pelo menos até as coisas se normalizarem na família de seu noivo. Por mais frustrante que seja, devemos tomar cuidado com nosso egoísmo, e olhar para situação sob outros olhos, e ao invés de lamentar e criticar, ajudar a buscar uma solução. 

Então, querida C.P., neste momento não é justo expor seu noivo a esta linha de guerra: dividir-se para suprir as necessidades de sua família e investir no sonho do casamento. Pois há amor para os dois lados, e com certeza ele não deseja magoar nenhum deles. Procure lidar com sua frustração e abdicar por um tempo de seus desejos, focando no momento do seu noivo, que mais do que nunca precisa de você. 

Se tiver estrutura emocional, ofereça para ajudar na organização da casa, ajude a administrar o dinheiro, se aproxime de sua sogra, ofereça sua solidariedade. Por mais assustador que seja o momento, as coisas vão tomando seu devido lugar com o tempo, e quando menos esperar a calmaria tomará o lugar desta tempestade. 

Desejo, do fundo do meu coração, que esta fase passe logo e que possa retomar o mais breve possível seus planos com seu noivo. Desejo toda a felicidade para vocês! E aposto que esta experiência fará toda a diferença no dia a dia depois de casados, e vão lembrar com orgulho de como passaram por isto juntos.

ALGUÉM JÁ VIVENCIOU ALGO PARECIDO? OU GOSTARIA DE SUGERIR ALGUM CONSELHO A C.P? ENTÃO NÃO DEIXE DE COMPARTILHAR COM A GENTE ATRAVÉS DOS COMENTÁRIOS.

Um grande beijo a todos e até a próxima. 

(As informações contidas nesta publicação NÃO substituem um atendimento real em setting terapêutico adequado com um profissional psicólogo qualificado.) 

***OBS: Quem quiser participar da sessão Apaixonadas no Divã, pode enviar e-mail para blognamorados@gmail.com com este título.***

    Comente no Blogger
    Comente no Facebook

24 comentários:

  1. Bem eu ja lidei com algo parecido, ha anos. Comecei a namorar com um individuo (na altura ele tinha uns 21, 22 anos) que, após a morte do seu padrasto que deixou a mae com dois filhos menores (seus meio-irmaos) teve que tomar conta da casa. A mae tinha um problema de saude mas tomava remedio e esse remedio supostamente tomava conta da doença. Eu tinha uns 18 anos na altura logo era muito inexperiente em coisas da vida. Vi desde o principio ela ter um controlo grande sobre ele, e ele sacrificar-se para fazer tudo o que ela pedia e precisava, e pensava "é a coisa certa, a situacao é critica". Ele ficou sem trabalho e eu fiz tudo para lhe ajudar a encontrar um trabalho, ficava a tomar conta da mae dele quando ele tinha que ir a formacao (porque ela dizia que passava mal a noite) e eu sacrifiquei-me para lhe dar paz enquanto ele lutava para conseguir o trabalho. Ajudava os meninos nos trabalhos de casa, e no que podia. Quando ele conseguiu o trabalho, pensei que ia ficar mais descansado e iamos ter mais tempo para "só nós os dois", mas nunca foi assim. Quanto mais voce cede, mais as outras pessoas aproveitam. Ele nao tinha controlo sobre a sua vida, nem sobre o seu dinheiro (recebia o salario e entregava todinho para a mae, ela o usava como achava). Logo que conseguiu o trabalho a mae sugeriu que ele comprasse um carro. Ele comprou um carro igual ao que a mae queria, ou seja mais luxuouso. Eu queria que ele comprasse um simples, pra não ter que meter em grandes dividas porque era so ele a sustentar a familia dele e nnunca se sabia se poderia surgir uma emergencia, etc, mas la foi ele fazendo tudo o que a mae queria. E foi assim durante quase 5 anos, fui deixada para trás, mais de 80% do nosso namoro não era nós os dois e sim eu, ele, sua mae e resto da sua familia. Tempo livre que ele tinha, ao inves de aproveitarmos para namorar, maior parte era para ele levar sua mae para ir onde ela queria, ou simplesmente ir passear no carro (ela quis que o filho fizesse o que o ex marido lhe fizesse, levar para andar de carro, fazer lhe caprichos, gerir o dinheiro dele, etc). Eu entrei numa depressao e ele so tinha tempo e paciencia para sua mae e sua familia. Eu me sentia a mais. Pelo contrario, eu que na maioria das vezes era a pessoa que lhe ajudava a resolver os problemas dele e de sua familia, sentia que cada vez que um acabava traziam outro para ele resolver, e isso desgastou bastante. Enfim, é uma historia longa, triste para mim porque me desgastou e saí disso totalmente destruida psicologica e mentalmente, e eles beneficiaram e ficaram por cima. Ainda sofri injustiça e nao reconheceram tudo o que eu fiz. So para dizer à garota que, essas situacoes de familia sao infelizes, e sao muito muito chatas de se lidar. Mas que ela nao faça como eu. Se for cedendo, eles vao ganhando um lugar e voce vai perdendo lugar. Aquilo que o seu namorado habituar elas a fazer, vai fazer sempre. Porque quando voce for reclamar depois de terem feito 2, 4, 9 vezes e ter-se tornado o "normal", voce reclamando disso vai parecer que está reclamando de uma coisa perfeitamente normal, e que quem está criando confusao é você. É uma situacao ingrata porque se voce nao fizer nada vai acabar se prejudicando mais tarde, se agir o seu namorado pode lhe acusar de estar lhe colocando contra a sua familia, e a familia dele se colocar contra voce lhe chamando de insensivel, mas aí você vai ter que jogar. Saiba dar a mão pra eles , colocando limites. Ponha os seus problemas, as suas dores, também na linha da frente. Se preciso, jogue. Sinto muito, pode parecer chato, mas se voce deixar as pessoas vao abusar de cada limite que voce ceder e a vida é assim. Eu fui compreensiva, amavel, me entreguei a 100% para pessoas que nao souberam reconhecer, me deram menos do que merecia, me usaram e saí queimada injustamente dessa historia. Boa sorte e beijinhos. Maria Cândida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Maria Cândida, muito obrigada por compartilhar sua experiência! Realmente o limiar entre acolhimento e abdicação é bem tênue, e se não tomarmos cuidado acabamos nos doando além do limite saudável. Oferecer apoio não é a mesma coisa que assumir a responsabilidade, e se nos submetemos a esta "exploração" física e psicológica, os efeitos colaterais são intensos. Fico muito feliz de saber que conseguiu se libertar deste ciclo negativo, e que hoje está mais amadurecida e principalmente feliz. Um grande beijo!

      Excluir
    2. Oi, muito obrigada, cheguei a chorar em certos momentos, agora as coisas estão acalmando mas ainda tem coisas que engulo a seco. Conseguiram pensão e aluguel de um empreendimento que era dele (sogro) e mesmo assim continua sugando o dinheiro do meu noivo, estou tentando justamente não me meter, mas é difícil. Obrigada à Jessica e a Maria Candida.

      Excluir
    3. Fico muito feliz em saber que as coisas estão se tranquilizando aos poucos. Realmente ficar na retaguarda é muito difícil, mas nestes momentos é o melhor a se fazer. Persista e não desista! Tudo vai ficar bem. Um grande beijo

      Excluir
  2. Bom dia.
    A minha história é assim.
    Eu namorei por 4 anos e nesse periodo vivenciei o fato de meu noivo ser filho de mãe solteira que só ela trabalhava então ele arrumou emprego pra ajudar dai ela pedia muito dinheiro pra ele e ele tem 3 irmãos que na época dependiam dele....Só que minha sogra abusava ela até ja sujou o nome dele e por conta dele nunca dizer basta nós acabamos adiando o casamento e me casei só no civil bem simples e td corrido e só conseguimos casar pq dei uma dura nele e falei pra ele ajudar menos pra poder guardar dinheiro pra gente casar dai ele teve uma conversa com ela e ela aceitou. ... agora estou casada a quase 3 anos ainda não conseguimos comprar uma casa e no momento estou gravida e desempregada e a minha sorte foi ele ter conseguido passar num concurso público. ... porém como só ele trabalha as coisas estão maus difíceis pra nós e se ja não bastasse isso a minha sogra todo mês fica pedindo dinheiro pra gente e o vr do meu marido só que ela não paga aluguel como a gente e tbm não quer correr atras de pensão pros filhos dai eu fico muito irritada pq meu marido não tem boca pra colocar ela no lugar dela e eu não sei como agir.
    ano passado qdo eu trabalhava ela me pedia dinheiro e como a situação era boa eu a ajudei porém ela pede e nunca paga o que deve ... vive com o nome sujo e pedindo cartão pros outros .... o que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida ka, como mesmo citou podemos ajudar quando estamos em condições favoráveis, caso contrário a prioridade deve ser nosso bem estar. Pelo que compreendi de sua história, sua sogra possui outras possibilidades para ajudar nas condições financeiras, mas acomodou-se na posição "parasita" que é mais fácil afinal pelo que entendi seu marido tem dificuldades de dizer não à mãe, mesmo sabendo que certas atitudes são abusivas. Quando acabou gerando pressão para casar, você estava ciente da dificuldade de seu marido, e que enfrentaria certos obstáculos dali em diante correto? Então primeiro de tudo tome cuidado com suas cobranças e expectativas, pois como sempre comento, não devemos exigir do outro o que ele momentaneamente não é capaz de nos dar. Entretanto, frente a situação atual, cabe sim a você impor os limites necessários para alinhar sua família, ter uma conversa franca e definir junto a seu marido como será daqui para frente, afinal há uma criança vindo aí. Dar apoio para que ele possa enfrentar esta barreira de negar algo a sua mãe, que para ele é algo muito difícil, sem estresses, brigas ou ameaças, vocês se amam e podem passar por isso juntos. Explique como não se importa em ajudar, mas existem outras maneiras de ajudar além do financeiro, aponte os abusos já cometidos e quanto isto afetou a vida de vocês, sugira maneiras de conversar com sua sogra e talvez soluções para problemas como citou solicitar a pensão dos filhos mais novos. Enfim, o que é importante que entenda é que esta situação deve ser resolvida pela união e não pela pressão, mais do que nunca, é preciso cumplicidade para lidar com os problemas. Boa sorte e felicidades! Obrigada por compartilhar sua história!

      Excluir
    2. Obrigada Jessica vc me ajudou muito.
      eu vou conversar com meu marido de forma amiga e compreensiva para que tudo de resolva da melhor maneira possível afinal eu gosto muito da mãe dele como uma mãe.

      Excluir
  3. Boa tarde. Já vivi algo parecido. Na verdade, ainda vivo. Eu e meu esposo começamos a namorar em maio de 2013. Começamos um relacionamento com muito diálogo e em paz. O pai dele abandonou a família há 14 anos e desde então ele tem sido arrimo de família. A mãe, por sua vez, ficou no modelo "vítima" da situação e não fez muita coisa pra mudar a situação. Meu esposo tinha muito ressentimento do pai, da mãe, dos irmãos por conta das mentiras, enrolações e etc. Essa forma de vivência até chegou a mim, porém cortei logo. Primeiro, quando namorávamos ela conversava sobre amenidades comigo. Quando esposo ia tomar banho, ela o criticava e inventava histórias. Ele era cheio de elogios à mãe, até que um dia não aguentei e contei tudo o que ela tinha me falado. E em outra ocasião, quando ela falou mal dele sem a presença dele, disse-lhe que ela não podia falar aquilo porque se juntasse todos os filhos dela, eles não fariam o que meu esposo fez. Quando contei a ele, ele chorou de soluçar. Quando estávamos noivos, íamos à casa da mãe dele e ela e os irmãos dele me ignoravam. Quando ela percebeu que realmente iríamos casar, ela entrou em pânico. Como sou evangélica procurei orar por ela e perdoar. Convidei o pai do meu esposo para nosso casamento e ele veio. Foi um marco para o perdão e renovação de laços. Nesse meio, apareceu uma pessoa no lugar onde trabalho, acredito eu, por pedido de minha sogra para pedir que eu não proibisse meu esposo de ajuda-la nos custos em casa. Quando casei fiquei ansiosa e com medo de que a sogra resolvesse "mandar" em nossa casa. Porém, falei sobre esse medo com meu esposo, e frisei que gosto dela, porém, não quero que ela fique todos os dias em minha casa.
    Meu esposo ainda contribui financeiramente com a mãe. Também emprega o irmão para que ele sustente a casa. Procuro, porém, não comentar nada porque meu papel, acredito eu, é sugerir, apoiar, viver e deixar viver. Isso não é problema meu.
    Compartilho minha história porque pode ajudar alguém. Beijoca! Jô

    ResponderExcluir
  4. Olá Jô, obrigada por compartilhar sua história! Ter imparcialidade na situação, sem se deixar "contaminar" sobre comentários e incitações realmente é a melhor escolha, e sua atitude de franqueza e cumplicidade com seu parceiro com certeza fez toda a diferença na relação de vocês. Realmente o problema está muito além de você, e seu papel é de suporte e não de escudo. Parabéns pela atitude e muitas felicidades! Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    O meu caso é complicado tb. Meu marido nunca pensou em futuros nem em adquirir bens (carro e casa por exemplo, o que eu considero importantes para o conforto da familia). Quando namorávamos começamos a colocar as dividas em dia para casarmos com tudo em ordem. Chegamos a comprar um apto que , graças a Deus, não deu certo, pois estava grávida e não sabia. Com a nova divida do apto não conseguiríamos arcar com tudo. Dai casamos e montamos nossa casa (alugada). Compramos tudo para o bebe e não nos endividarmos muito. Nessa época eu ainda trabalhava e quando o bebe nasceu fiz acordo na empresa para me mandarem embora, pois éramos de cidades diferentes. Até hj não trabalho mas pretendo voltar qdo o baby fizer 1 ano. E sempre nas discussões sobre dinheiro digo que vou ter meu próprio dinheiro so meu!
    Quando vim pra casa con meu filho nos braços descobri que a familia dele seria nossos vizinhos de rua. E desde então tenho sofrido não só por questões financeiras que sempre pedem pra comprar algo no cartão, dinheiro emprestado, querem que ele pague churrasco, cerveja e viagens, quanto relacionamento sogra e nora tb.
    Com tudo isso vejo nosso sonho de casa própria, casamento religioso e estabilidade financeira indo embora.
    A poupança, provindo do meu acerto, licença maternidade e seguro desemprego, nunca mais recebeu outros créditos e tem diminuído pq o salário dele não tem suportado as despesas.
    Sonho que essas brigas acabem e acho que a solução é mudando pra longe deles. Mas há o risco de irem atrás.
    Tenho vontade de voltar pra casa da minha mãe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida! Como abordamos no post, fugir para longe não é a solução, afinal aqui ou na China eles continuarão com o mesmo comportamento. O indicado é romper esse ciclo de aproveitamento, e assumir a postura de esposa, e não coadjuvante da relação. Impor-se é muito importante, isto claro sem ultrapassar limites. Ajudar nossa família sempre será prioridade, desde que esta ajuda não seja para futilidades como bancar um churrasco no fim de semana, quando seu filho está sem fraldas. Uma boa conversa e uma mudança de postura podem ajudar! Desejo toda a felicidade, e logo logo terão superado este momento e vivendo juntos e felizes.

      Excluir
  6. Boa tarde. Meu problema não é com a minha sogra é com a minha mãe, sou casada tenho uma filha de quatro anos que atualmente mora com a minha mão por que trabalho e faço faculdades aos finais de semana pego minha filha para ficar comigo. Minha mãe é separada do meu pai e com isso todaaaaa a responsabilidade financeira dela fica nas minhas costa ela diz que por cauas da minha filha não pode trabalhar concordo mais ela nunca trabalho antes que a sustentava era a minha avó quer recebia duas pensão . Só que o problema não é arcar com as despeses o problema que ela não tem limite não economiza em nada tem desperdícios de alimentos e sempre tá me pedindo dinheiro parece até que sou rica recebo pouco mais que um salário mínimo pago escola( filha luz televisão compras tudo para a minha mãe. E quando to chateada sempre desabafo com o meu marido fico com medo dele encher o saco por que reclamo sobre isso . Não sei mais o que fazer me tira do sério ver esse descaso com o dinheiro que eu dou. Mê dê uma opinião sobre isso preciso de uma opinião profissional por que está me abalando seriamente psicologicamente. Só trabalho para ajudar ela por que se eu não trabalhasse ela não teria renda nenhuma de qualquer forma iria pedir dinheiro para gente .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta relação de dependência é realmente muito complicada. Uma coisa que temos que refletir é que ninguém nos usa se não permitimos. O que me parece é que por se sentir culpada em deixar sua filha para sua mãe cuidar, sente-se em dívida, e os papéis se inverteram. Para que algo mude, você precisa mudar primeiro. Repensar toda a situação, e procurar quebrar esta manipulação emocional. Enquanto tratar sua mãe como filha ela nunca aprenderá a ser independente, pois pelo que entendi é uma história que se repetiu, pois antes era sua avó que cumpria esse papel de provedora, que hoje você assumiu. Uma terapia familiar poderia ajudar a recuperar a relação de vocês. Desejo que possa refletir e agir, porque essa situação ficará insuportável e causará danos irreversíveis se nada fizer.

      Excluir
  7. POR FAVOR, ME ACONSELHA!
    Sou casada há 3 anos e tem algo me incomodando muito, quando conheci meu esposo os pais dele eram separados mas viviam na mesma casa, minha sogra nunca trabalhou então dependia do meu sogro pra tudo, há 1 ano ela resolveu sair de casa e ir morar sozinha mas nunca ligou de procurar emprego, com isso jogou todas as contas em cima do meu marido, eu nunca concordei com a situação porque trabalhamos os dois juntos para sustentar nossa casa, ele por sua vez não toma uma postura de negar ou dar opções e simplesmente entrega a quantia que ela pede, por várias vezes ficamos sem dinheiro para comprar comida por conta disso. Tinha 3 meses que ela não pedia porque disse pra ele que se ele tirasse dinheiro da nossa comida para dar a ela eu voltaria pra casa da minha mãe, acontece que hoje ela pediu dinheiro de novo e o pior um valor super alto que sei que não teremos dinheiro para nossa feira novamente, estou a mais do meu limite, não sei o que faço, minha vontade é ir na casa dela e jogar tudo na cara dela, mandar ela ir trabalhar e deixar nossa vida em paz, mas não posso desrespeitá-la, estou muito mal porque ele tentou esconder pra que eu não ficasse brava, ainda não disse nada a ele mas não aceito mais isso, se ela tivesse uma doença ou deficiência tudo bem mas se pode trabalhar então porque não faz? Me ajuda por favor, estou a ponto de me separar porque não aceito passar necessidades para ele sustentar a mãe que pode trabalhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi erica ,estou quase na mesma que vc ...
      Eu sou casada no civil faz quase 9 anos e temos 2 filhos ,nunca moramos juntos pq nao tinhamos condiçao , eu sugeri ele vir morar na minha casa ele nao aceitou e queria q eu fosse morar na casa dele , eu nao aceitei tambem pois nao combino com a familia dele , enfim ...ele tem a mae dele , a irma, 2 irmaos e uma senhora q ele chama de mae q mora junto pois criou eles lá ...
      Ele é de familia pobre , la na casa dele todo mundo sempre trabalhou , mas agora ele subiu na vida , virou empresario e mudou de cidade , fui junto com ele alugamos uma casa,antes ele recebia em torno de 3 mil por mes , chegava na hora de me ajudar c dinheiro, dava 200 reais e falava q n tinha mais por causa das contas , mentira ele dava pra mae dele ...
      Agora essa tal senhora q criou a familia dele faleceu e mae encostou nele pra pedir dinheiro , e tudo mais , ta acabando com meu casamento pois eu fui questionar q ele nao me da dinheiro pra cuidar das crianças e pra mae dele ele da; ele simplesmente me respondeu q daqui pra frente tudo 3 dela , q eu sou maldosa e quero afasta-lo da mae , q se eu quiser continuar c ele vou ter q aceitar e ta com ideia fixa de levar a mae pra morar na nossa casa, eu juro q vou acaabar sendo presa , pq antes de dar um pé na bunda dele vou matar a folgada da mae dele


      Socooorrrroooooo preciso de ajuda .

      Detalhe q a familia dele sempre tratou ele mal e me odeia; agora q ele ta bem de vida tao todos igual sangue suga

      Excluir
    2. Olá Erika! Por mais difícil que seja querida, é preciso pensar que sua sogra nunca trabalhou, e sempre dependeu de alguém, logo não é tão simples como parece. Não é nada bom para seu casamento se colocar em disputa com sua sogra de "eu ou ela", esta é uma decisão muito injusta, e o resultado é a escolha por recursos inadequados, como a mentira por parte dele. Invés de jogar a responsabilidade para ele, seria mais indicado tentar acolhe-lo neste problema, e pensar juntos em uma solução. Por exemplo: leva-la morar com vocês, seu marido iniciar um trabalho provisório para aumentar a renda, criação de um meio de renda para que sua sogra ganhe dinheiro (consultora de produtos como avon, mary kay, etc/ revendedora de picolés/ outros), conversar com seu sogro para que ele ajude o filho para que ele possa ajudar a mãe... O que quero dizer é que é preciso pensar em soluções e não apenas ficar desgostosa com a situação. Procure ter uma conversa com seu marido que o foco não seja a mãe dele, e sim como melhorar a situação. Desejo que tudo se resolva o mais breve possível viu!

      Excluir
  8. Olá Dany, como comentei com a Erika, se colocar em disputa com sua sogra só irá piorar a situação, pois nunca seremos capazes de escolher entre nossa família e nosso parceiro, afinal amamos demais ambos. Quem sabe não seja a hora de parar de competir e dançar conforme a música? Ao conversar com seu marido, explique que está difícil lidar com as despesas de suas filhas, e como poderiam fazer para mudar isto, e nunca caia na tentação de colocar sua sogra no meio, pois o máximo que estrará fazendo é tirar o foco da conversa. Com planejamento e união é possível encontrarem um meio termo, que satisfaça os dois, acredite! E cuidado com esse ódio que está alimentando que chega lhe fazer pensar em "matar", lembre-se que está fazendo mal somente à você. Se for o caso, procure auxílio psicológico.

    ResponderExcluir
  9. Bom olá. Minha história é um pouco diferente mas há algumas semelhanças. Estou junto com o meu companheiro a 4 anos. Minha convivência com a família dele és estável pois algumas coisas eu não tolero . A família dele é muito folgada, tudo em questão de dinheiro sobra pro meu marido. Episódio de ontem foi que minha sogra precisava de um remédio mas não tinha dinheiro. E é sempre assim, ela sempre chora e se lamenta com o meu marido ai meu marido não aguenta vai e compra. .. só que na família São 4 irmãos e ninguém ajuda. Tudo sobra pro meu marido. Eu ja estou a ponto de enlouquecer. Quase desistindo de ter uma.vida a dois com ele. Ele hoje vive.com o nome.sujo por causa da família. Tenho vontade de falar um monte pra todo mundo. Mas.a família dele é do tipo que se vc falar vc não tem nada a ver com isso é é bem capaz de nunca.mais olharem na.Minha cara. Oque eu faço estou perdida. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida! Relacionamento familiar é sempre complicado, e temos que levar em conta que a mudança nunca será repentina e sim aos poucos, pois esse ciclo de aproveitamento foi construído por anos. O que acontece muitos vezes é que o senso de justiça quer falar mais alto gerando um sentimento de inconformidade perante o fato. Mas na verdade nem sempre há sentido no relacionamento humano, nem sempre será igualitário, nem sempre será justo, entende? Partindo disto ao invés de se martirizar porque é "injusto" procure pensar em maneiras de ajudar a seu parceiro, independente dos irmãos folgados por exemplo. A solução para o problema virá com a união de vocês e não colocando ele na parede.

      Excluir
  10. Comigo acontece parecido com um caso acima, filho unico de mae separada. Estamos juntos a um ano e a mae dele trm outro marido que vive largando emprego, ela trabalha mas ganha pouco. Nos namoravamos e ela nao gostava de mim, mesml assim me pedia dinheiro para o cigarro. aff odeio cigarro. Mas eu dava, na forma de tentar faze la gostar de mim. Como comprei um apartamento chamei elw para morar comigo. Ele topou e tudo vinha dando certo, ate chegar os fins de semana quando iamos visitar minha sogra. Pedia dinheiro sempre, toda semana, sendo que meu marido ja estava com nome sujo ppr conta de compras pra ela.
    Mesmo nos morando juntos o vr dele ficou com ela. Mas isso nao bastava. Eu me sentia mal, e acabei enviando o meu para minha mae que morava em outra , achava injusto a mae dele pedir dinheiro e nao ajudar minha familia que tambem precisam.
    Engravidei e com isso tivemos que preparar as coisas pra chegada do bebe. Foi ai que certo dia tive que dizer pra ela que nao tinha dinheiro pq tinha coisasqur faltavam ao bebe e que meu marido devia limpar o nome dele.
    Ela diminuiu, mas parar que é bom, nada.
    Ela pede meu cartao de credito, sempre invento uma desculpa e meu marido limpou o nome, mas nem quer falar pra ela por que ela vai comecar a pedir coisas.
    Eatamos com mais de 5 mil em dividas e ela quer presente todo aniversario e outras datas ( dias das maes e ainda por cima escolhe o presente).
    Falei com meu marido e vamos pedir os vr de volta pra ajudar agora que teremos mais uma boca pra alimentar e torcer pro padrasto dele ficar no emprego e mnha sogra nao ficar pedindo mais dinheiro e se virar sozinha.
    Ela usa desculpa qur paga aluguel. Bom meu apartamento é financiado e pago prestacoes, entrada parcelada e cobdominio. Tenho gastos maiores que o dela.
    Mas ela acha que por ele ser filho unico deve sustentar ela.
    Ate pediu pra ele compprar apartamento ppra ela.
    Eu economizo deixo de fazer unha e comprar sapatos e toda vez que vou na casa dela, ela fez compras e unha bonita.
    Acho muito injusto.
    E tenho sofrido com isso.
    Iamos pedir pra ela cuidar do nosso bebe quando terminasse a monha licença, iamos pagar. Mas nem quis ouvir a parte de pagar e se recusou. Entao teremos que intercalar horarios.
    Nao sou a favor de ajudar quem nao me ajuda.
    Pretendo cortar tudo dela, inclusive os presentes. Ja que nao dou pra monha mae que mora longe, ela tbem nao vai ganhar.

    ResponderExcluir
  11. Meninas estou passando por uma situação muito chata.
    Estou com meu noivo vai fazer 5 anos e estamos nos preparando pra casar, tentando guardar dinheiro para fazer uma festa, comprar as nossas coisas de casa e etc...
    Mas a minha sogra fica pedindo dinheiro o tempo todoooo, ela nunca trabalhou mas tem saúde suficiente pra trabalhar, ela tem apenas 43 anos, 20 anos mais nova que a minha mãe.
    Minha sogra separou do marido e vive atualmente na casa da mãe dela que já é aposentada e vive sozinha, ela fica o tempo todo inventando obras, pedindo dinheiro para bebida, cigarro e para sair para os pagodes da vida.
    Não sobra nada do dinheiro do meu noivo, ele já faz as compras mensais, paga contas de luz, água, telefone, e ela ainda fica querendo que ele alimente os vícios e as saídas dela.
    Fico indignada com isso, se fosse uma senhora de idade precisando de cuidados especiais tudo bem, mas não é gente.
    Ela gosta de viver de aparência, o pior é que tem um outro filho que é solteiro e trabalha e não ganha mal, mas ela só pede ao meu noivo, o problema todo é que ele não sabe dizer não.
    Ela tinha uma idéia fixa de querer ir morar com a gente após o nosso casamento mas eu consegui tirar isso da cabeça dele.
    Ela fala que quer ir pra lua de mel e tudo acredita? E ainda fala que não vai perdoar ele se ele não levar, até desistimos de fazer festa, vamos nos casar esse ano sem festa, apenas no civil, só assim pra gente conseguir juntar o nosso dinheiro, assim espero.
    No dia dos namorados fomos almoçar fora e ela ficou com raiva, pois achou que deveria ter ido junto.
    Gente estou a ponto de explodir...
    Sou muito transparente, não consigo disfarçar a minha cara de insatisfação mediante a essas situações.
    Tenho medo de casar e que meu noive continue com todas essas despesas e que a gente acabe brigando por conta de começar a faltar as coisas dentro da nossa casa.

    ResponderExcluir
  12. Obrigada por compartilharem suas histórias! Assim como apontado, o limite é o segredo para um relacionamento harmonioso entre nora x sogra... Muitas vezes com medo de gerar conflitos as pessoas deixam de dizer o que lhes incomoda, mas devemos lembrar que relacionamento a dois não é só flores e atritos fazem parte e principalmente são fundamentais para o fortalecimento do casal. Dialogar, demonstrar e expressar são as armas infalíveis para lidar com sogras invasivas.

    ResponderExcluir
  13. Olá!!! Namoro há 6 anos, eu e meu namorado nunca tivemos um namoro normal, de sair, se divertir, porque quando o conheci ele ja se dedicava à sua avó que tem alzhaimer, entao trabalhava e final de semana so queria ficar em casa com ela, até ai tudo bem, sempre ficava em casa com ele e com o restnate de sua família. Mas há uns 2 anos, a irmã dele se separou, ela tem duas filhas de 4 e 5 anos, e desde então meu namorado assume papel de pai das sobrinhas, paga escola, mantém a casa. Detalhe que desde que namoramos ele sempre teve difuldades financeiras e agora assume essa responsabilidade. A questão é que nunca vejo chegar o nosso momento, ele diz querer casar comigo mas que agora não da por causa da grana, mas pretende continuar pagando a escola das sobrinhas e mantendo a casa dele. Percebo que por ele viver para a família eles se aproveitam. Ele so vive para a família. Eu tenho minha casa, ele vem aqui uma vez na seman, ou 2 no máximo e volta pra casa pra ficar com a família. Por favor me ajudem, eu quero terminar mas sofro so de pensar nisso. Mas não to preparada. O conheci em um cenário e de repente ele aumenta a responsabilidade.

    ResponderExcluir