cartões criativos

Apaixonadas no Divã: "Descobri há um mês que tenho HPV"

23 comentários
Hoje o tema de nossa sessão “Apaixonadas no Divã” é muito sério e acredito que esclarecerá algumas dúvidas importantes no assunto “doenças venéreas”. O relato é de nossa leitora S.F., acompanhem comigo:

Olá. Estou perdida e preciso da ajuda e dos conselhos de vocês. Descobri há um mês que tenho HPV. Tenho 20 anos, namoro há 2 anos com o R. e antes dele tive 2 relacionamentos. Como sempre tomei anticoncepcional, no começo usava camisinha com os meus parceiros, mas depois que o relacionamento ficava mais sério, já não usávamos mais.
Não tenho mais como saber se peguei o vírus do meu atual namorado ou de um dos anteriores. Também sei que se ele não tinha o vírus, contraiu através de mim. Ainda não tive coragem de contar pra ele. Será que ele vai entender?
Agora estou com medo, pois li bastante sobre o vírus e sei que as coisas podem complicar pra mim. Mas não tem mais jeito e eu tenho que aceitar que foi um erro que cometi e vou sofrer as consequências pro resto da vida. O problema maior vai ser contar para os meus pais. Eles não sabem que tenho vida sexual ativa e se contar sobre o vírus, vão ser duas decepções. Será que devo contar ou guardo isso comigo? Me ajudem.
Primeiramente vamos esclarecer uma coisa: não é apenas através do ato sexual que podemos contrair uma doença venérea. Por exemplo, HIV e Hepatites B e C podem ser transmitidas através de agulhas contaminadas, alicates de unhas, transfusão de sangue ou de mãe para filho durante a gravidez. A sífilis pode ser transmitida através do beijo, caso existam lesões na boca. Já a pediculose pubiana (chato) pode ser transmitida através de toalhas ou roupas íntimas.

Portanto, DST é uma doença que é preferencialmente, mas não necessariamente, transmitida pela via sexual.

doenças sexualmente transmissíveis

Antes de prosseguir quero aproveitar e listar as principais DST e seus sintomas:

Vaginose bacteriana
A maioria das mulheres não apresenta sintomas. Quando aparecem, os sintomas podem incluir: coceira vaginal, dor ao urinar e corrimento com odor de peixe.

Clamídia
A maioria das pessoas não apresenta sintomas. Aqueles com sintomas podem ter: corrimento vaginal anormal, queimação ao urinar, sangramento fora da época da menstruação.

Herpes genital
Os sintomas incluem: Pequenos caroços, bolhas ou feridas onde o vírus entrou no corpo, como no pênis, vagina ou boca. Corrimento vaginal, febre, dor de cabeça, dores musculares, dor ao urinar, coceira, queimação ou glândulas inchadas na área genital, dor na pernas, nádegas ou área genital. Os sintomas de herpes genital podem sumir e retornar. As feridas saram depois de 2 a 4 semanas.

Gonorreia
Os sintomas aparecem mais freqüentemente dentro de 10 dias após a infecção, sendo ausentes em alguns pacientes. Dor ou queimação ao urinar, corrimento vaginal amarelado ou algumas vezes com sangue, sangramento fora da época da menstruação, dor durante o sexo, infecções que ocorrem na garganta, olho ou ânus podem apresentar sintomas nessas partes do corpo.

Hepatite B
Os sintomas mais comuns são: Febre baixa, dor de cabeça, dores musculares, cansaço, perda de apetite, vômito, diarreia, urina escura e fezes pálidas, dor estomacal, cor amarelada nas pele e branco dos olhos.

Tricomoníase
Muitas pessoas com tricomoníase são assintomáticas. Os sintomas geralmente aparecem de 5 a 28 dias depois da exposição e podem incluir: Corrimento vaginal amarelado, esverdeado ou cinza com odor forte, desconforto durante o sexo e ao urinar, coceira ou desconforto na área genital e, raramente, dor no abdômen inferior.

Sífilis
A sífilis progride em estágios. Os sintomas do estágio primário incluem:
* Uma ferida única não dolorosa que aparecer de 10 a 90 dias após a infecção. Ela pode ser na área genital, boca ou outras partes do corpo. Essa ferida some por si mesma.
Se a sífilis não for tratada, ela passa ao estágio secundário. Esse estágio começa de 3 a 6 semanas depois do aparecimento da ferida. Os sintomas do estágio secundário da sífilis são:
* Feridas na pele ou pontos avermelhados nas mãos e pés que geralmente não coçam e somem sozinhos.
* Febre.
* Garganta dolorida e glândulas inchadas.
* Perda de cabelos.
* Dor de cabeça.
* Dores musculares.
* Perda de peso.
* Cansaço.

No estágio latente os sintomas somem, mas podem retornar. Sem tratamento a sífilis pode ou não mover para o último estágio, no qual os sintomas estão relacionados a danos aos órgãos internos como cérebro, nervos, olhos, coração, vasos sanguíneos, fígado, ossos e articulações. Algumas pessoas podem morrer. 

HIV / AIDS
Algumas pessoas com o vírus HIV não apresentam sintomas dessa DST por 10 anos ou mais. Em torno da metade da pessoas com HIV tem sintomas semelhantes aos da gripe por 3 a 6 semanas depois de serem infectadas. Os sintomas da AIDS podem incluir:
* Febre e sudorese noturna.
* Sensação de cansaço.
* Perda de peso rápida.
* Dor de cabeça.
* Linfonodos inchados.
* Diarreia e vômito.
* Feridas nos genitais, ânus e boca.
* Tosse seca.
* Pele com feridas.
* Perda de memória de curto prazo.

Algumas mulheres com HIV também podem apresentar os seguintes sintomas:
* Infecções vaginais por fungos e outras infecções vaginais, incluindo DSTs.
* Doença pélvica inflamatória que não melhora com tratamento.
* Alterações no ciclo menstrual.

HPV
Algumas pessoas com HPV não apresentam sintomas. As pessoas com sintomas podem ter: verrugas visíveis na área genital e tumores no cérvix e vagina que são frequentemente visíveis.

IMPORTANTE: Ao constatar qualquer sintoma procure imediatamente seu ginecologista!

Retomando o caso de S.F., vamos ressaltar a questão do “usar preservativo”. Muitos casais confundem o uso do preservativo como sinônimo de desconfiança, e é comum ouvirmos a justificativa dada por S.F. que após o relacionamento ficar sério passarem a não fazer uso da proteção. Muitos rapazes fantasiam que o uso da camisinha interfere no prazer do ato sexual, e induzem suas parceiras a aceitarem esta situação, alegando inclusive que é uma prova de amor, uma prova de lealdade, entre outros. E nem preciso dizer que isto é um tremendo ERRO, não é? E a justificativa está no inicio do nosso post: não é apenas pelo ato sexual que podemos contrair DST’s.

E aí muitos questionam se mesmo depois de casados, depois de ter filhos, ainda é aconselhável o uso do preservativo, e a resposta é obvia: claro! Assim como o protetor solar é indispensável, o protetor sexual também é importante. Mas existe outra alternativa, que é a realização periódica de exames para verificação do estado de saúde do casal, mas ainda sim há o risco da contaminação. Por isso cuidado, não apenas durante o ato sexual, mas também ao ir na manicure, manipular objetos cortantes de uso coletivo, compartilhar maquiagem, etc. Ah lembrem-se que DST também são transmissíveis pelo sexo oral, e não apenas através da penetração. Uma dica é transformar o hábito de usar preservativo em um momento prazeroso e não algo que “atrapalha” como muitos sentem, por exemplo realizando carícias enquanto inserem o preservativo, ou colocar a camisinha com a boca, etc.

Referente ao contar para o parceiro, por mais difícil e constrangedor que seja, é um direito e é indispensável contar, inclusive para poderem cuidar-se, lembremos que o que está em jogo é a saúde de vocês. É imprevisível qual será a reação dele, por isso é importante estar preparada para todas, positivas ou não. Ter paciência e não se desesperar com as reações negativas, afinal é preciso de um tempo para a “ficha cair” e a aceitação não é algo fácil de lidar. Acima de tudo procure manter a calma para buscar ajuda. Outro ponto importante é comunicar seus ex-parceiros sobre a doença, afinal não sabe quem é o transmissor, e se for um deles, podem estar passando a outras pessoas, então é imprescindível que os alerte.

Já aos pais, a escolha de contar ou não é de cada um, mas vale esclarecer que contar sobre a doença não é a mesma coisa que entrar em detalhes sobre suas intimidades. Todo pai e mãe sabe que uma hora ou outra isto acontece, afinal eles já passaram por isso, claro que é embaraçosa a confirmação, mas isto é algo que eles vão ter que aprender a lidar, afinal faz parte do processo. O apoio dos pais é sempre acolhedor, e pode ser muito confortante para ajudar a passar por tudo isto, todavia como disse é uma questão de escolha, pois cada um sabe a família que possui, e se a revelação vai ajudar ou piorar a situação. E se a escolha for negativa, meu conselho é que busque alguém de confiança para partilhar esta angustia, ou até mesmo um profissional de psicologia que lhe dará a garantia do sigilo, pois este é um momento de vulnerabilidade, em que ter alguém dando suporte é muito válido.

Querida S.F. não há motivo para se envergonhar ou se esconder, todos estamos propensos a contrair DST se descuidarmos, por isso enfrente este problema de frente e não se negligencie, procure cuidados médicos e se possível psicológicos. Estou na torcida de sua recuperação e que todos em sua volta sejam compreensivos e acolhedores. Um grande beijo e felicidades!

E, leitoras(es), USEM CAMISINHA SEMPRE! 

Até a próxima.

(As informações contidas nesta publicação NÃO substituem um atendimento real em setting terapêutico adequado com um profissional psicólogo qualificado.) 

***OBS: Quem quiser participar da sessão Apaixonadas no Divã, pode enviar e-mail para blognamorados@gmail.com com este título.***
    Comente no Blogger
    Comente no Facebook

23 comentários:

  1. Gente Eu tenho o vírus
    Não sei como foi contraído, pois só tive relações com o meu atual namorado.
    Nele não foi manifestado, foi meio complicado dele entender de que ele tbm poderia ter o vírus sem se manifestar no corpo.
    Em mim descobrir uma lesão no colo do útero.
    Fiz o tratamento completo e hj não tenho mais a lesão, apenas o virus.

    Aconselho vc a expor pra ele que esse virus pode ter vindo dele ou não, que ele pode ser transmitido de outras formas de contato sem ser sexualmente.

    Ele vai entender

    ResponderExcluir
  2. Tbm sou portadora do vírus e tenho sua idade. Assim como a maioria, não sei como o contrai. Me arrependo das escolhas feitas anteriormente e por não ter pensado nas consequências. Contei ao meu namorado atual que ficou firmemente ao meu lado. Estamos juntos até hoje. Faço acompanhamento ginecológico e vários exames periodicamente para ver a evolução ou desaparecimento do vírus.
    Escolha uma maneira delicada de contar, tudo ficará bem, não é o fim do mundo.

    Usem camisinha!

    ResponderExcluir
  3. Mas gente tudo isso causa sintomas ou é algo silencioso? Descobriram através de sintomas não foi?

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada por compartilharem suas experiências meninas.... Com certeza a vivencia de vocês será de grande valia para S.F.

    Respondendo a pergunta. Alguns organismos demoram mais para manifestar os sintomas, outros chegam a não manifestar, por isso a consulta regular ao ginecologista é de grande importância.

    ResponderExcluir
  5. S.F. Quando vi o seu post, tive a necessidade imensa de vir aqui e poder de certa forma ajudar.
    Primeiro, NÃO LEIA NADA NA INTERNET SOBRE A DOENÇA. As pessoas encaram e postam coisas como se isso fosse um bicho de sete cabeças, e quando cuidado NÃO É.
    Eu tive, e no começo fiquei em choque, todos dias tomava calmantes e so chorava, mas com ajuda da minha médica maravilhosa entendi melhor o que eu tinha.
    No meu caso, foi um pouco mais complicado que o seu, porque na epoca eu estava ficando com o meu atual namorado, e ele era e é uma pessoa incrivel, a qual eu não queria perder jamais!! As minhas ''lesões'' eram muito visiveis, e vez ou outra ele perguntava o que era e eu alem de me sentir pressionada pra dizer, me sentia muito constrangida também.
    Mas quando eu entendi do que se tratava, tirei aaquele imenso peso das minhas costas.
    O HPV é um virus que mais da metade da população possui, porem, quando a sua imunidade baixa ele se manifesta (na maioria das vezes em forma de verrugas genitais). Não sei qual o seu caso, mas no meu eu removi todas em um mini processo cirurgico, coisa rapida e nada doloroso, e pos-operatorio suuuuper tranquilo (precisei me submeter a esse tratamento porque o meu ja tava bem avançado). Hoje o que eu faço é ''ficar de olho'' de 6 em 6 meses sempre faço exames, e cuido bastante da alimentação pra não baixar a imunidade, o virus eu ainda tenho, mas segundo a minha médica, eu so transmito ele se eu estiver com alguma verruga.
    Não se assuste, não é a pior coisa do mundo!!
    Ahhh e sobre o meu namorado, eu contei e adivinha só? Ele tinha também!! Rsrs, me apoiou e foi super companheiro.
    Espero ter te ajudado, bjao.
    R.R

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá R.R., muito bom seu depoimento! Realmente encarar o problema de frente, sem fazer disto um bicho de sete cabeças é a melhor forma de lidar com a situação. Como salientou é preciso cuidado regular com a saúde, e orientações profissionais para o vírus não tomar maiores proporções. Um grande abraço e obrigada por participar!

      Excluir
    2. Esse foi o melhor depoimento que vi!
      Obrigada por compartilhar.

      A.P.

      Excluir
  6. S.f tenho 21 anos e minha namorada tambem ela tambem contraiu esse virus em uma relação casual antes de namora comigo assim no início foi uma barra de eu aceita pensei varias vezes em deixala mais proucuramos ajuda media que esclareceu nossas dúvidas ,até hj nao apareceu nenhum sintomas em mi mais nele algumas lesões ele esta em acompanhamento médico o quadro de verrugas tem diminuído muito quase não tem mais nada ...é uma coisa grave sim mais nenhum bixo de 7cabeça fica em paz Abraços...

    ResponderExcluir
  7. Eu tive esse vírus e segundo minha ginecologista ele sai do seu corpo... o das verrugas é o menos pior dos hpvs... o pior é aquele que não tem sintomas e que ficam no seu útero. Fique tranquila!!

    ResponderExcluir
  8. Olá, que bom poder encontrar pessoas que não piram por causa do HPV. Tenho 22 anos e descobri que tenho o vírus a 2 anos. Faço exames de 6 em 6 meses e sou noiva, meu noivo também tem o vírus. Estamos felizes e bem. Só foi meio complicado nas primeiras semanas, por causa do susto e tal. Hoje em dia, levamos numa boa, sem problemas. Temos uma vida normal. Sinto muito por não existir um certo apoio e comentários muitas vezes negativos na internet sobre quem tem o vírus. Meninas e meninos que tem o HPV, calma, vocês sobrevivem! É só uma fase, isso se supera. Se conhecem alguém que tem, saibam de uma coisa, são pessoas normais como você. Já ouvi pessoas falando: nem vou apertar sua mão, se abraçar pega? Vou escaldar a colher que você usou... Fiquei chocada e triste, mais aprendi uma coisa, se eu me respeito e pago minhas contas, não tem o porque eu chorar pelos cantos por causa de pessoas ignorantes. Força viu? Se alimentem bem, pratiquem exercícios e sejam sinceros com seus parceiros, todos merecem a verdade. Bjs

    ResponderExcluir
  9. tenho HPV quase 5 anos, não me cuidei e agravou, tenho 24 anos, vou fazer histerectomia, mas graças a Deus tenho um filho de 4 anos e meu marido está do meu lado, me apoiando.
    Acho que peguei do meu ex pois o meu marido n tem sintomas e ainda não fizemos exames para saber. tô tranquila em relação a doença mas tenho convicção q agravou pq n acompanhei e n fiz os exames que o medico pediu. Hoje me arrependo, por isso se cuidem...Bjos!

    ResponderExcluir
  10. oii..também descobri a6 meses que tenho HPV..Chorei muito, contei pra minha mãe e ela me apoiou muito. Agora estou começando um relacionamento, faz 4 meses e não tive coragem de contar pra ele por medo de perdê-lo. Não sei o quefazer, mas ao mesmo tempo sei que ele merece saber..me sinto muito mal por não contar. Me ajudem

    ResponderExcluir
  11. oii..também descobri a6 meses que tenho HPV..Chorei muito, contei pra minha mãe e ela me apoiou muito. Agora estou começando um relacionamento, faz 4 meses e não tive coragem de contar pra ele por medo de perdê-lo. Não sei o quefazer, mas ao mesmo tempo sei que ele merece saber..me sinto muito mal por não contar. Me ajudem

    ResponderExcluir
  12. Tbm descobri que tenho hpv faz 1 mes já tive relações sem camisinha com meu atual namorado que faz 1 mês e meio que começamos a namorar, a primeira relação que tive com ele foi em dezembro do ano passado não demos certo paramos de conversar e nesse tempo eu tive relação com uma outra pessoa por um tempo e paramos de ficar tbm, depois de uns 2 meses voltei a conversar com o meu atual e começamos namorar, na primeira relação que tivemos depois que voltamos ainda não tinha aparecido nada nenhum sintoma mais depois de uns dias sim, não sei, posso estar enganada mais acho que não foi dele que contrai o vírus, agora estou começando tratamento e não sei como contar pra ele estou com medo da reação dele

    ResponderExcluir
  13. Eu descobri que tinha hpv a uns dois meses atrás, estava com 18 anos ainda, foi um choque, eai comecei o tratamento, não tenho mais nenhuma verruga nem nada, e agr eu tô namorando, uma pessoa maravilhosa e tenho medo de contar pra ele, será que mesmo sem as verrugas,eu passo o vírus pra ele? Hpv tem cura? A minha médica não me explica nada ME AJUDEM

    ResponderExcluir
  14. Olá tive relação só com duas pessoas o meu ex e meu atual porém alguns meses começou aparecer umas lesões na área genital nunca tive nada será que peguei do meu atual estou mt preocupada..me ajudem

    ResponderExcluir
  15. Olá, descobri à apenas 1 dia que tenho esse vírus em mim, tenho 20 anos, e sim, dst era tudo que eu mais temia. Como a maioria aqui ja passou por essa fase deve saber oq estou sentindo agora, não consigo me abrir com ninguém, nem me tocar mais , e sim, sinto nojo e muita raiva de mim pelo descuido. Por mais que o baque de descobrir que vc possui um vírus em vc que vai mudar toda sua vida,alguns comentários aqui me acalmam. Nunca usei preservativo com a pessoa que me relaciono, hj nao tenho coragem nem de olhar na cara dele, o medo de não saber oq me espera é maior que qualquer "fica calma, vai dá tudo certo".

    ResponderExcluir
  16. Olá tenho 16 anos e tenho 90% de certeza que tenho o hpv.
    Tudo começou depois de uma relação na noite seguinte comecei a sentir coceira nas partes intimas passou alguns dias e eu ja não consegui dormir, fui a o hospital e o medico me disse que era infecção urinária. Ele passou alguem remedios e uma pomada vaginal, a coceira passou mas uma semana depois de acaba os remedios ela voltou mas fraca ia e volta ate que um dia ao toma banho sentir um caroço na minha vagina e ao passa das semanas apareciam mais eram as tais das "verugas genitais" estranhei dai conversei com uma amiga que tem o virus e ela me falou que tmb sentia e teve as msm coisas. Fiquei desesperada não sabia nada sobre a doença pra falar a verdade não sei quase nada na internet cada um fala uma coisa fico meio perdida me sentindo sozinha com medo com vergonha com raiva de msm ! Eu não sei como contar para minha mãe tenho medo da reação dela acho que de começo ela vai ficar uma fera mas não vai vira a escosta pra me , fico achando que devo me matar ja que vou morrer do msm jeito mas depois paro pra pensa que isso é so uma lição de vida que as vezes alguns conselhos é pro nosso bem e hoje sou a prova viva que sim , so deus sabe o quanto me doe saber que causei minha propria doença que poderia ter sido evitado so ele sabe o quanto choro todas as noites , toda vez que vou ao banheiro , so ele sabe minha dor e o quanto eu to desesperada.
    Hoje alem das verugas tem um csroço avermelhado nas minhas partes intimas,tenho coceira toda vez que urino e quando tomo banho e um liquido esbranquiçado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina calma! Muita calma! Primeiro procure um médico ginecologista e comece o tratamento, isso é extremamente importante. Segundo, isso não é HIV, vc não vai morrer! Se trate o quanto antes. Vc vai vencer! A vida segue! É desesperador no início, mas depois tudo se resolve. Procure um médico! Bjssss

      Excluir
  17. Olá gente! Ontem descobri que posso ter HPV. o médico me passou mais alguns exames para identificar, mas porque eu pedi, pois por ele já queria começar o tratamento. Não tenho sintomas algum, nenhuma verruga, nada. Só descobri porque fui fazer preventivo como faço todo ano. Sou casada, estou com essa pessoa há 8 anos. Sempre fui ao médico e nunca deu nenhuma alteração nos meus exames. Essa foi a primeira vez. Estou desesperada!!! Não tenho coragem de contar à ninguém. Ainda não fiz os outros exames mais detalhados. Meu marido nunca entenderia. Não faço ideia de como posso ter pego. Não sei o que fazer... Estou vivendo em casa como se fossem os últimos dias, porque tenho certeza de que quando eu contar, tudo vai acabar. Não sei o que faço... Não sei como conto... Não sei de mais nada!

    ResponderExcluir
  18. Oi tenho 21 anos e descodescobri que tenho hpv há 4 dias e estava saindo com um menino e o meu médico falou que tanto eu quanto ele teriamos que fazer alguns exames, então contei pra ele que eu tinha ido ao médico e o que ele falou pra mim e ele simplesmente me bloqueou e não fala mais comigo. No dia em que fui no médico chorei muito pois me assustei dst sempre foi uma das coisas que eu mais temia, e é muito difícil quando você recebe a notícia de que tem o vírus.

    ResponderExcluir
  19. Olá meninas, o diagnóstico de qualquer patologia nunca é fácil... E quando se trata de DST a cobrança social só agrava a aceitação. Porém devemos sempre privilegiar o amor próprio, é sua saúde que está em jogo, nunca esqueçam disso! Omitir-se e não se tratar é errado e quase masoquista.

    A opção de revelar a outras pessoas que não estão diretamente envolvidas é livre, apenas os parceiros que também precisam se tratar tem o direito de saber. E vamos lembrar que DST não se adquirem apenas e exclusivamente pelo ato sexual, como explicado no post existem outras maneiras, como através do compartilhamento de objetos cortantes como alicates de unha por exemplo.
    A mensagem que quero deixá-las é que, neste momento é importante pensar em si, e se o outro não for capaz de lhe apoiar, o problema está no outro, e não em você!

    Obs. Vale lembrar que algumas pessoas levarão mais tempo para digerir a notícia, e que é preciso paciência também, pois assim como para você foi uma surpresa, para o outro também foi.

    ResponderExcluir